Gestão de clínicas: o que estou fazendo de errado? - Balaio da Criação

Por Balaio da Criação

Publicado em 18 de agosto de 2017 | Atualizado em 16 de março de 2020


O volume de informações, processos e pessoas em uma clínica médica demanda um gerenciamento eficiente. Esses fatores, quando são mal administrados ou ignorados, podem causar impactos negativos que atrapalham o funcionamento e sucesso do empreendimento. Por isso, preparamos este artigo sobre gestão de clínicas. Os pacientes são os primeiros que

O volume de informações, processos e pessoas em uma clínica médica demanda um gerenciamento eficiente. Esses fatores, quando são mal administrados ou ignorados, podem causar impactos negativos que atrapalham o funcionamento e sucesso do empreendimento. Por isso, preparamos este artigo sobre gestão de clínicas.

Os pacientes são os primeiros que sentem os efeitos da falta de gestão em uma clínica médica. Em vez de contarem com a agilidade necessária, eles enfrentam processos morosos e uma equipe desmotivada. Por isso, você, mesmo sendo médico, deve compreender a importância de agir como um gestor.

Continue a leitura e saiba o que está fazendo de errado na gestão da sua clínica.

Não controlar o fluxo de caixa

A falta de controle em torno do dinheiro que entra e sai da clínica médica é um erro de gestão que compromete bastante a capacidade de investimento. Quando não há um sistema eficiente de gestão financeira, torna-se impossível saber se a clínica está dando lucro ou prejuízo.

Por isso, é necessário realizar o controle do fluxo de caixa, ou seja, efetuar o registro de todas as transações financeiras.

Misturar as contas pessoais com as da empresa

Jamais misture as contas pessoais com as da clínica. Estipule um salário para receber mensalmente, deixando o restante do dinheiro na conta empresarial.

Evite pagar as suas contas com o dinheiro do caixa da clínica, pois isso dificulta o controle financeiro e torna mais difícil saber a origem dos gastos. Por menores que sejam os valores, aos poucos eles são somados e corroem a rentabilidade do negócio.

Não investir na capacitação dos funcionários

A clínica, assim como qualquer empresa, necessita da motivação dos seus funcionários para que os processos sejam cumpridos com excelência. Quando recebem capacitação, eles se tornam mais preparados para os desafios da rotina da clínica.

O conhecimento é fundamental para que os colaboradores consigam exercer o trabalho com base em um padrão mínimo de qualidade, transmitindo assim confiança para os pacientes.

Não estabelecer objetivos, metas e indicadores de desempenho

Para comprovar que as ações que foram tomadas em prol da boa gestão da clínica são realmente eficientes, é necessário estabelecer objetivos, metas e indicadores de desempenho.

Os objetivos refletem o patamar que a organização deseja atingir, enquanto as metas determinarão os meios para que isso seja possível. Já os indicadores são os instrumentos possibilitam a mensuração do resultado.

Fazer uma má gestão da agenda

O atendimento aos pacientes também faz parte da gestão da clínica. Se a agenda não tiver um controle adequado, a qualidade do atendimento pode ser comprometida e isso, consequentemente, afetará a rentabilidade da organização.

O paciente, por exemplo, deve ter acesso aos meios que são rápidos e eficazes para o agendamento de suas consultas e exames. Já os profissionais devem aprender a manusear as ferramentas para gerenciar as faltas e encaixes.

A gestão de clínicas é fundamental tanto para o funcionamento dos processos quanto para a manutenção do alto nível de satisfação dos pacientes. Portanto, considere adotar as práticas aqui apresentadas.

Se você gostou das informações, compartilhe este artigo nas suas redes sociais e marque os seus colegas de profissão que também gerenciam a própria clínica.

Print Friendly, PDF & Email

Posts relacionados