Blog: Mundo marketing digital

Inbound, Branding, Métricas, Bi, Negócios, Tecnologia, Publicidade, Conteúdo, Social, Comportamento e Tendências no Marketing Digital
marca política

4 pontos importantes no desenvolvendo uma marca política.

Quanto mais cedo melhor.

Decidir-se por criar uma marca política, traduzida por uma presença política nas redes sociais, é uma decisão que deve ser tomada o mais rápido possível. O quanto antes melhor, mas antes tarde do que nunca. Resumo: é imperioso que isso tenha que acontecer, ou será a decretação do falecimento da carreira pública.

Essa construção não é algo que se consiga da noite para o dia. Trata-se de um trabalho contínuo e permanente. Para que isso ocorra de forma positiva e que resulte num “patrimônio” eleitoral, é preciso tomar algumas atitudes e efetivamente fazer as coisas acontecerem. O que porecisa ser feito é o seguinte:

Vamos ver quais as ações que devam ser tomadas para criar uma marca política. Vamos ter uma linha mestra já tradicional na área do marketing e a traduziremos para focar as ações no ramo político.

Desenvolvendo uma marca política.

1- Planejamento Estratégico: como em todo o planejamento estratégico as atividades de maior importância são o de conhecer com profundidade o “terreno” no qual está se pisando. O terreno é justamente as demandas do cidadão local, onde se pretende sexercer influência política. Além de ter que conhecer todos os assuntos referentes à administração pública local também deve-se conhecer potencialidades e defeitos dos que tentarão impedir qualquer êxito das suas ações. É importante que a qualidade das informações que serão analisadas, pois determinarão a definição de uma estratégia adequada. Planejar com base em informações imprecisas ou erradas leva a um final desastroso. O planejamento estratégico é o que vai criar um plano de ação na construção da marca política.

2- Pesquisar o mercado: se já tem mais ou menos a idéia do que seja uma pesquisa de mercado melhor, mas vamos ao aspecto político da pesquisa. Precisam ser sempre vistos quaisquer fatores que gerem oportunidades positivas ao agente público e procurar se engajar e se identificar com os fatores. Mas o agente precisa com clarezar conhecer e saber identificar as ameaças externas, de agentes que não pertençam ao seu grupo, bem como as ameaças setoriais que são oriundas de grupos organizados que não se identifiquem com a sua “marca”. É preciso desenhar o perfil dos cidadãos e dos aliados para compor estratégias de ações conjuntas. Fazer um planilhamento dos pontos fortes e fracos do agente e dos seus adversários para poder saber que tipo de uso pode ser feito de todos os aspectos. A pesquisa de mercado é o que vai nortear a composição da marca política.

3- Identidade política: no caso do marketing de negócios esse ponto poderia ser a identidade visual. Como nosso produto é humano, tem identidade humana, a identidade visual deve ser agora vista como identidade política, ou seja, deve-se vincular ao agente público valores que agreguem confiança e segurança do cidadão quando se tratar das ações de governo desse agente político. Antes de mais nada é preciso deixar bem claro que ninguém vai conseguir ter uma visão de uma identidade política no agente se ele mesmo não fizer o cidadão crer sobre isso. Essa identidade então deve ser fundamentada em algumas percepções abstratas, por exemplo: deve ser algo ao mesmo tempo simples e relevante, uma idéia que possa ser facilmente apreendida e que o cidadão possa se dizer: “Poxa eu vou participar disso!”. Essa idéia que o agente deve despertar deve ser duradoura, baseada em algo que o próprio agente acredite. Deve ser distinta, que se seja facilmente reconhecida, em meio a tantas outras que surgirão. As idéias que identificarão o agente político devem ser memoráveis, de tal forma que o cidadão jamais irá esquecer. Por último, as idéias devem ser fluídicas, sem trais suas bases fundamentais, deve ser aplicada em qualquer cidadão, deve ser universal. A identidade poítica é a própria marca política.

4- Comunicação Interna e Externa: a comunicação interna deve ser bastante trabalhada para influenciar de forma externa. Como? Fazendo o levantamento da identidade do candidato, onde serão construídas, baseadas em verdades, as suas características pessoais, a sua história política, a sua origem, os seus valores, a sua formação escolar etc. Tudo o que for possível agregar valor na personalidade do “produto”, do agente público. A comunicação precisa conhecer detalhes do “produto” que irá oferecer. A comunicação fará a tranferência da forma e conteúdo da marca política para o público consumidor, o cidadão.

A relação do agente político com o seu consumidor, o cidadão, precisa ter uma gestão de relacionamento muito bem estruturada, pois como todo o marketing o marketing politico é bom. O problema é o produto do marketing político que é o politico e neste caso o produto fala! Portanto cuidado ao se comunicar para que sua identidade ou marca como agente político seja preservada.

 


Aprenda sobre marketing digital

Inscreva-se e receba ebooks, artigos, dicas e outros materiais para melhorar o marketing digital de sua empresa.