[Minuto B] - Inovação como parte do DNA da empresa. - Balaio da Criação

Por João Kzam

João Kzam, #osenhordabusca, facilitador, palestrante, comunicador, jornalista digital, conteudista, content maker, podcast maker da Balaio da Criação e uma das vozes do Minuto B do PodAí da Balaio.

Publicado em 15 de setembro de 2020 | Atualizado em 15 de setembro de 2020


Para criar uma usina de ideias e tornar fluídico o processo precisamos adotar algumas ações que devem fazer parte da composição da empresa e nos membros do grupo. Vejamos quais são essas ações:

Inovação como parte do DNA da empresa.

 

Nestes dias de intensa competição digital precisamos de uma equipe de alta produtividade, sim isso é inegável, mas além disso é preciso injetar no DNA da empresa um componente predecessor deste estágio e que imprimirá no processo de criatividade uma característica básica para gerar inovações: o fator gerador de ideias.

Quando se tem o hábito de buscar eficiência, criatividade e produtividade isso tudo junto tem potencial de criar ideias e a todo o momento chegam insights valiosos com potencial transformador da equipe, do setor ou de toda a organização.

E isso tem força de mudanças internas na empresa que começa a fazer parte do DNA da mesma. E como se trata de uma transformação interna então não é algo que deva influenciar diretamente o mercado, tal como a criação de um novo negócio digital, mas traz vantagens competitivas para um negócio e altera de forma indireta os rumos do segmento de mercado.

Para criar uma usina de ideias e tornar fluídico o processo precisamos adotar algumas ações que devem fazer parte da composição da empresa e nos membros do grupo. Vejamos quais são essas ações:

Ações para criar uma usina de ideias.

  1. Primeiro: A direção da empresa, grupo gestor e os líderes devem disseminar a importância da inovação em tudo o que envolve o dia-a-dia de todos. Todos os colaboradores devem se engajar e tomar como missão clara a de trazer mais ideias que deverão se tornar pilares do crescimento da empresa e que inovar é fundamental para que o negócio se sustente e se mantenha competitivo.
  2. Segundo: Componha um projeto que permita adotar estratégias que estimule inovações de alto desempenho e direcione o foco das ideias para os objetivos da empresa. Para isso crie campanhas que fazem com que os colaboradores criem ideias que resolvam problemas reais da organização.
  3. Terceiro: Crie uma forma de identificar e reconhecer boas ideias e que tenham uma forma de recompensa pelo trabalho e inovação gerados. Qualquer profissional se sente motivado quando reconhecido. Adote mecanismos que motivem o engajamento de outros profissionais a fazerem parte do processo de geração de novas ideias e que seja criado um ranking dos mais inovadores, das conquistas feitas e que sejam somados pontos que no final se traduza em resgate de prêmios.
  4. Quarto: Crie um processo descentralizado de análise e aprovação de ideias. Muitas das ideias podem ser implementadas sem muitos recursos financeiros ou de material ou de pessoal. Permita que os membros que decidem o andamento do processo tenham mais autonomia na aprovação de novos projetos. Que possam dar andamento às ideias mais simples e que só a parte mais complexa possa ser elevada a um nível mais alto de decisão na cadeia hierárquica da empresa.
  5. Quinto: Não permita que os colaboradores creiam que inovação deva ser resultado de uma grande ideia, isso não é verdade. A inovação é resultado da criação contínua e agregada de pequenas ideias que fazem parte de um projeto que no final vai gerar um grande negócio. Ideias simples são sempre bem vindas e fundamentais para a geração de diferenciais competitivos para os negócios.
  6. Sexto: Não permita que o processo de criação e inovação seja em função de algum grupo ou reunião específica. Faça com que se torne rotina o processo de criação em todas as reuniões e ações da empresa. Sempre procurando agregar valor em tudo o que se faz, adotando um novo modo de fazer e ser todos os dias. Sempre se deve perguntar: Tem como fazer diferente e melhor? Fazer mais com menos? Ou se mesmo ao fazer com mais o valor agregado final seja bem maior?
  7. Sétimo: Faça com que o grupo não veja os seus gestores ou líderes como únicas fontes de ideias. Os gestores têm que estar abertos a receberem novas ideias ou soluções de todos os colaboradores indistintamente, afinal muitas das vezes as grandes soluções surgem de ideias simples ou pode vir de quem precisa da solução e não de quem a cria.
  8. Oitavo: Deve ser fundamental a cooperação, colaboração e compartilhamento de tudo entre todos os membros do grupo. Em todos os setores, em todos os níveis. Isso faz com que as mentes se abram cada vez mais e se tornem receptivas e criativas no processo de inovação, criação e geração de valor no negócio. As ideias ficam mais robustas e se tornam viáveis com a contribuição de mais pessoas.
  9. Nono: Sempre haverá aqueles que estarão na frente e muitos no início ficarão atrás, mas faça uso amplo da divulgação dos sucessos alcançados e de que forma tudo aconteceu para que outros ou que não estejam se sentindo estimulados possam perceber que é tudo muito simples e que basta que participem cada vez mais e sigam o mesmo caminho dos que se destacaram.
  10. Décimo: Utilize uma plataforma que funcione como centralizadora e ponto de encontro ao mesmo tempo. Por exemplo, um portal que utilize ferramentas colaborativas, de controle e monitoramento de todos os processos e que ajude a divulgar tudo o que está acontecendo em tempo real e que seja acessível a todos para que possam colocar nesse portal todas as observações, todos os dados e informações referentes ao projeto e às ideias. Um portal como esse faz com que todos se sintam parte do negócio e no processo criativo.

Quando esses pontos forem colocados em práticas todos irão perceber que tudo começa a fazer sentido e que tudo passa a se tornar natural e se incorporar nas ações do grupo e de cada colaborador. Aí sim, todos perceberão que tem no seu DNA o processo de criação de ideias e inovação. Consequentemente também isso tudo fará parte do DNA da empresa.

Sou João Kzam, o senhor da busca, voz do PodAí da Balaio da criação o podcast que fala de negócios, empreendedorismo, conhecimento, conceitos, tecnologia e pessoas.

Faça parte desse grupo de profissionais que se conectam a todo tempo e todo dia nesse processo de aprendizagem e conhecimento. Passe na balaiodacriacao.com.br e venham tomar um cafezinho com a gente. Até nosso próximo encontro.

Print Friendly, PDF & Email

Posts relacionados